quinta-feira, 24 de agosto de 2017

A Ku Klux Klan NÃO é cristã!

Sempre houve, em todas as épocas e lugares, quem usasse indevidamente o bendito Nome do Senhor Jesus Cristo movido por sórdidas intenções, isto é, visando obter ganhos pessoais ilícitos e legitimar ações injustas. A organização estadunidense chamada Ku Klux Klan e todos os demais grupos defensores da “supremacia branca” autointitulados “cristãos” fazem exatamente isso. Não creem em Jesus, não O amam nem O servem, mas, por conveniência, fingem professar a fé cristã. No entanto, o cristianismo é incompatível com as ideias da KKK, como veremos a seguir.

1) Jesus veio ao mundo como judeu, pregou o Evangelho ao povo judeu e escolheu pessoas judias para anunciarem Sua mensagem a partir da judeia. Os ensinamentos de Cristo são o ápice da revelação escrita por Moisés e os profetas do Antigo Testamento, os quais descendiam de Abraão, Isaque e Jacó. Porém, a Ku Klux Klan defende o extermínio dos judeus, reverencia a memória de Adolf Hitler, tenta negar ou minimizar os horrores praticados nos campos de concentração nazistas. No fundo, deseja levar às últimas consequências o genocídio que Hitler começou.

2) Jesus ensinou o amor ao próximo. Demonstrou, na história conhecida como “parábola do bom samaritano” (Lucas 10:25-37), que o próximo pode ser alguém de outra etnia e nacionalidade. Ordenou o amor aos inimigos e a quem nos persegue (Mateus 5:43-45). Por fim, na noite anterior à Sua morte na cruz, deixou o mandamento a ser vivido pelos cristãos: “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (João 15:12). Quanto à Ku Klux Klan, sua força motriz e razão de existir é o ódio. Tudo que fazem é semear, praticar e propagar o ódio contra quem não se encaixa em seus padrões étnicos, culturais e ideológicos favoritos.

3) A teologia cristã se desenvolveu primeiro entre os cristãos da Ásia, norte da África e sul da Europa. Mestres de diversas origens, uns pardos, outros negros, outros ainda, brancos, se debruçaram no estudo da doutrina dos apóstolos e os resultados se fazem presentes até hoje em nossas igrejas. A contribuição dos cristãos do Hemisfério Norte começou na Idade Média e, naturalmente, tem lugar de destaque na história do cristianismo, mas os fundamentos da fé cristã foram sistematizados principalmente por teólogos de pele morena, oriundos de cidades como Tarso, Alexandria e Hipona. Porém, no discurso racista da Ku Klux Klan, somente os povos do norte europeu e seus descendentes são considerados dignos de respeito. O restante da humanidade é tido como escória.

4) O cristianismo exalta a humildade e condena o orgulho. Afirma que todos os seres humanos pecaram e foram destituídos da glória de Deus (Romanos 3:23), portanto não há distinção entre pessoas. Conforme a Bíblia, Deus resiste aos soberbos e concede graça aos humildes (Tiago 4:6). Jesus disse: “aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração” (Mateus 11:29). Em oposição a tudo isso, a Ku Klux Klan procura incutir nos cidadãos de ascendência anglo-saxã, germânica e escandinava uma mentalidade orgulhosa e um sentimento de aversão aos outros povos. A mensagem dessa organização racista poderia ser resumida em uma frase: “importa que os nórdicos cresçam e tudo mais diminua”.

Sendo assim, por que motivo a KKK se considera uma organização cristã? Simplesmente porque Jesus Cristo é bom, e os membros da Ku Klux Klan querem parecer bons, decentes, íntegros – o que, obviamente não são. O cristianismo lhes serve como uma máscara, pela qual tentam esconder a verdadeira identidade deles. São arrogantes, cruéis, racistas, violentos, desprovidos de misericórdia; enfim, tudo que o Senhor Jesus não é. Esperam que a (falsa) profissão de fé em Cristo os ajude a enganar pessoas, a fim de que os reais propósitos daquela organização permaneçam ocultos. Não são cristãos, e seus frutos os denunciam.

Por tudo que foi exposto, nós, crentes em Jesus Cristo, salvos pela graça de Deus mediante a fé, só podemos repudiar a Ku Klux Klan e os demais grupos defensores da “supremacia branca”. Não aceitamos que pessoas ímpias, inimigas do Evangelho, se atrevam a usar o santo Nome do nosso Senhor em um projeto monstruoso cujo objetivo é destruir. Os adeptos da KKK não são nossos irmãos em Cristo, não compartilham da mesma fé professada por nós, e certamente não terão o mesmo destino eterno que nós, crentes, teremos. E se porventura algum simpatizante de ideias racistas lê esta postagem, a exortação bíblica para os tais é: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que os vossos pecados sejam apagados” (Atos 3:19)!

Nenhum comentário:

Postar um comentário