quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Templos suntuosos pra que?

Pouco antes de subir aos céus, o Senhor Jesus nos deixou as seguintes palavras, registradas em Mateus 28:19-20: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho mandado”. Foi uma ordem simples, que certamente implica em um elevado custo de esforços e renúncia, e resume a missão da Igreja de Cristo, que é levar o Evangelho a toda criatura.
 
Nosso Mestre não disse nada a respeito de templos grandes e imponentes, até porque, na Nova Aliança, Deus habita não mais em construções erguidas por mãos humanas, mas no coração dos crentes. Por esta razão, quando a Igreja Romana edificou, nos séculos XVI e XVII, uma sede megalomaníaca no Vaticano, construída no formato de uma chave, a “detentora exclusiva das chaves do Reino dos Céus” apenas evidenciou o quanto estava distante da vontade do Senhor, preocupada tão-somente em demonstrar poder aos olhos dos homens sob o seu domínio. Nada mais distante das práticas da igreja primitiva, descrita no livro de Atos dos Apóstolos!
 
Porém, lamentavelmente, a megalomania e a soberba não são vícios exclusivos da Igreja de Roma. As denominações neopentecostais, ditas “evangélicas”, têm sido tomadas pelo mesmo mal, como comprovam as novas e grandiosas sedes recém-construídas ou em construção das principais igrejas da “teologia da prosperidade”, orçadas em dezenas ou até centenas de milhões de reais!
 
"Para Deus, nós fazemos o melhor”. Essa é a resposta de praxe, que os bispos, apóstolos e missionários neopentecostais sempre repetem. Sob esse ponto de vista, o “melhor” significa o mais caro, o mais rico, o mais luxuoso, o mais grandioso, o mais impressionante. É normal que os descrentes, não salvos, não regenerados, pensem de modo tão materialista. Triste é verificar que alguns líderes evangélicos têm o mesmo pensamento!
 
É lógico que os templos cristãos devem ser erguidos com capricho e bom gosto, dentro das possibilidades de cada congregação. Seria uma demonstração de desleixo edificar um templo acanhado demais, se os membros possuem boa condição financeira. No entanto, construções enormes, destinadas a abrigar milhares de pessoas, não são uma boa ideia. A igreja precisa ser uma comunidade de irmãos em íntima comunhão, e não uma multidão que se reúne em megaeventos. Melhor é ter vinte templos com capacidade para quinhentas pessoas cada, do que um prédio enorme capaz de receber dez mil de uma só vez! E quanto ao luxo ostensivo, essa característica não cai bem no meio cristão, nem mesmo se a comunidade for rica. E os membros mais pobres, não se sentiriam humilhados em um prédio de riqueza imponente? Sim, mas a liderança neopentecostal parece não enxergar esse simples fato.
 
Enquanto isso, em povoados esquecidos do sertão nordestino, região amazônica, norte de Minas Gerais e cantões de diversos estados brasileiros, tanta gente humilde padece sem Cristo, ignorando a sublime mensagem do Evangelho, desesperançados, entregues às crendices e superstições de um sincretismo religioso que o catolicismo romano por conveniência sempre alimentou! Mais adiante, em outras nações, outros povos gemem sem salvação, aprisionados em suas próprias manifestações religiosas antibíblicas, anticristãs, enganosas e diabólicas. Quantos missionários poderiam ser enviados e sustentados dignamente com os milhões e milhões de reais (mal) empregados em edifícios riquíssimos que as denominações neopentecostais erguem a cada dia, sem que Deus jamais lhes tenha ordenado isso? Essa é uma pergunta que deveria ser levada a sério.
 
"Portanto ide, fazei discípulos”. Deus, o Senhor do universo, não precisa de templos suntuosos, enormes, cheios de riquezas, que impressionam o homem, mas não Aquele que na concha de Sua mão mediu as águas e tomou a medida dos céus a palmos. O Senhor quer almas! Servos, remidos e lavados no sangue do Cordeiro, de todas as partes do mundo, ainda que se reúnam em cabanas de madeira e sapê, mas o façam para a glória de Deus! Quem se habilita a fazer a obra de Cristo, tal como Ele ordenou?

3 comentários:

  1. - Verdade dura verdade, infelizmente Igrejas como Assembléia de Deus hoje querem competir com a IURD, realmente é muito difícil lutar contra a IURD, e para piorar e que as almas vão se perdendo.

    ResponderExcluir
  2. - Verdade dura verdade, infelizmente Igrejas como Assembléia de Deus hoje querem competir com a IURD, realmente é muito difícil lutar contra a IURD, e para piorar e que as almas vão se perdendo.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo comentário! Que a graça de Deus seja com você!

    ResponderExcluir